Robutez e engajamento de stakeholders na rede da primeira infância em nove municípios do interior paulista no contexto do programa São Paulo pela primeiríssima infância, na região de Jundia: Diferentes percepções da rede por gestores-facilitadores de rede.

Marcos Davi dos Santos – Formador de profissionais para o desenvolvimento infantil intersetorial. Médico e psicoterapeuta corporal neorreichiano. Idealizador do Instituto Primeiros Anos – Desenvolvimento Humano (IPADH) e da Rede a.tempo

Ligia Maria de Almeida Bestetti – Articuladora de atenção básica e articuladora regional do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância – Secretaria de Estado da Saúde – Governo do Estado de São Paulo

Alexandre Amaral Villela – Publicitário, designer gráfico e integrante da Rede Primeiros Anos – IPADH

Vera Regina Bruno – Economista e sanitarista. Diretora de Gestão e Planejamento da Prefeitura Municipal de Louveira – SP

RESUMO: Introdução e justificativa: Mobilizar as redes da primeira infância do São Paulo pela Primeiríssima Infância (SPPI) tem sido um desafio para os municípios de Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, Morungaba e Várzea Paulista. Objetivo: Conhecer a percepção da rede por parte dos diferentes gestores-facilitadores de redes dos Comitês Gestores Municipais e Regional. Metodologia: Uma oficina com dois encontros, em dois dias com 94 participantes para (a) Identificação dos stakeholders/organizações seguida da distribuição destes nos seguintes clusters:

(1) Membros dos Comitês, (2) Secretarias Municipais, (3) Unidades de atendimento, (4) Imprensa, (5) Comunidade, (6) Empresas e (7) Entidades; (b) Discussão e indicação da situação do engajamento utilizando linhas coloridas para fazer a união entre os pontos: (1) relações fortes (linha verde), (2) relações a serem fortalecidas (linha amarela) e (3) relações fracas ou inexistentes (linha vermelha) e (c) confecção e discussão dos mapas de redes. Resultados: Um número total de 515 sujeitos e organizações foram identificados nos nove municípios. Quando acrescido do número de pontos do Comitê Gestor Regional, o número final foi de 542 pontos. A predominância de ligações fracas ou inexistentes aponta para o potencial de ampliação da rede, com inclusão de novos stakeholders/organizações. O número de ligações a serem fortalecidas (n=166) aponta a necessidade de reavivamento da interação entre os pontos correspondentes. O número de ligações fortes (n=184) pode indicar a robustez da rede, fruto do trabalho de mobilização de stakeholders/organizações municipais e regionais desde o início da implantação do SPPI, a partir de 2012. Considerações finais: A visualização da rede em formato de mapa de rede e grafo permite uma rápida apreensão da situação da rede em relação à sua robustez e ao engajamento dos stakeholders/organizações. A diversidade de percepções da forma, dos pontos e das conexões da rede varia de acordo com cada Comitê Municipal e com o Comitê Regional e, se for valorizada, pode ser fonte de riqueza e força para a rede. No entanto, faz-se necessário ampliar e fortalecer o número de conexões buscando maior sustentabilidade da rede.

PALAVRAS CHAVE: Intersetorialidade; Trabalho em rede; Primeira infância.

  1. Introdução e justificativa

 

São Paulo pela Primeiríssima Infância (SPPI) é um programa voltado para o desenvolvimento da primeira infância, da gestação aos três primeiros anos. Sete municípios integram a Comissão Intergestores Regional de Jundiaí (CIR-J): Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, e Várzea Paulista, mais os municípios de Itatiba e Morungaba.  A gestão do SPPI/CIR-J é exercida pelos Comitês Municipais, composto por articuladoras, gestores e técnicos das Secretarias Municipais de Educação, Saúde e Desenvolvimento Social dos nove municípios e pelo Comitê Regional, que possui uma articuladora, aqui considerados como gestores-facilitadores de redes (GFR).

Para superar o desafio de manter a mobilização das redes da primeira infância em 2017, uma oficina de apoio técnico aos Comitês foi planejada e realizada pelos autores. Os resultados forneceram elementos variados sobre a percepção da rede pelos GFR, além de subsidiar novas estratégias de fortalecimento das redes da primeira infância, justificativa também para compartilhar a presente experiência de pesquisa-ação com os interessados.

  1. Objetivo

Conhecer a percepção de diferentes GFR dos nove municípios e da Comissão Intergestores Regional de Jundiaí sobre a rede da primeira infância do SPPI/CIR-J, levando-se em conta a robustez da rede e o engajamento entre os stakeholders.

  1. Metodologia

A oficina “Conectando stakeholders na rede local da primeira infância, um a um, ponto a ponto” foi realizada em dois encontros, com intervalo de uma semana.

Primeiro encontro: a partir da opção pela metodologia participativa e ativa de construção dialógica do conhecimento, foram propostas atividades de mapeamento da rede da primeira infância do SPPI/CIR-J a 94 participantes. Apenas dois participantes eram do sexo masculino. Nove subgrupos foram compostos por representantes, técnicos e gestores, das Secretarias Municipais de Educação, Saúde e Desenvolvimento Social dos nove municípios integrantes do SPPI/CIR-J. Um subgrupo extra foi composto por tês articuladoras de atenção básica. As atividades foram organizadas em duas etapas:

Etapa 1 Identificação dos stakeholders da primeira infância de cada município, seguida da distribuição destes em agrupamentos (clusters) utilizando-se o manuseio de alfinetes coloridos: (1) Membros dos Comitês Municipais ou Regional, (2) Secretarias Municipais, (3) Unidades de atendimento, (4) Imprensa, (5) Comunidade, (6) Empresas/empresários e (7) Entidades civis e de garantia de direitos da criança e da mulher.

Etapa 2 Discussão e indicação do engajamento utilizando linhas coloridas para fazer a união entre os pontos: (1) relações fortes (linha verde), (2) relações a serem fortalecidas (linha amarela) e (3) relações fracas ou inexistentes (linha vermelha).

Segundo encontro: Na preparação para o segundo encontro, os mapas de redes preparados manualmente foram digitalizados dando origem aos grafos de rede, que foram discutidos em plenária.

  1. Resultados

Um número total de 515 sujeitos e organizações foram identificados nos nove municípios. Quando acrescido do número de pontos do Comitê Gestor Regional, o número final foi de 542 pontos. A predominância de ligações fracas ou inexistentes aponta para o potencial de ampliação da rede, com inclusão de novos stakeholders. O número de ligações a serem fortalecidas (n=166) aponta a necessidade de reavivamento da interação entre os pontos correspondentes. O número de ligações fortes (n=184) pode indicar a robustez da rede, fruto do trabalho de mobilização de stakeholders municipais e regionais desde o início da implantação do SPPI, a partir de 2012. Os resultados podem ser vistos na Tabela 1 (Anexo A). A visualização da rede com indicação dos clusters, do número de pontos e do tipo de ligação, é apresentada na figura 1 (Anexo B).

  1. Considerações finais

A visualização da rede em formato de grafo permite uma rápida apreensão da situação da rede em relação à sua robustez e ao engajamento dos stakeholders. A diversidade de percepções da forma, dos pontos e das conexões da rede varia de acordo com cada Comitê Municipal e com o Comitê Regional e, se for valorizada, pode ser fonte de riqueza e força para a rede. Faz-se necessário ampliar e fortalecer o número de conexões entre sujeitos e organizações, buscando-se maior sustentabilidade da rede.

REFERÊNCIAS

  1. SANTOS, Marcos D. Memória e Resultados do Projeto “Formação em Desenvolvimento da Primeira Infância”. Prefeitura Municipal de Boa Vista. Boa Vista – RR, 2016.
  2. NEWMAN, M. E. J. The structure function of complex networks. SIAM Review 45, 167-256 (2003) http://arxiv.org/abs/cond-mat/03030516.

 

ANEXO A – Tabela 1 – Identificação de pontos (sujeitos/organizações) e do engajamento de stakeholders na percepção da rede da primeira infância SPPI-CIR-J, sob a ótica dos gestores/facilitadores de rede.

ANEXO B – Figura 1 – Grafos da rede da Primeira infância – SPPI/CIR-J. Dez/2016

 

 

 

 

 

 

 

 

Comments are closed.